SIC.PA
                                                    Serviço de
                                                    Informação ao
                                                    Cidadão

                   

Contraste:

  • White/Black
  • Padrão

Current Style: Padrão

Zoom:

  • Increase
  • Decrease
  • Normal

Current Zoom: 100%

“Vozes de Nazaré” une artistas paraenses e coral da Susipe

Versão para impressãoEnviar por e-mailVersão em PDF
Os artistas abriram mão de seus cachês em prol do projeto social.

Quase dois milhões de pessoas participaram do Círio de Nazaré 2017, neste segundo domingo de outubro (8). Durante o trajeto, de 3,6 quilômetros, várias homenagens foram feitas, mas uma em especial chamava a atenção de romeiros, devotos e turistas que passavam pelo corredor da fé. Não se tratava apenas de artistas paraenses renomados, mas de rostos até então desconhecidos que buscavam por meio da música e da presença da imagem da Virgem de Nazaré o recomeço de suas vidas.

No palco, localizado na Escola de Governança Pública do Estado (EGPA) o Coral Timbres, formado por internos do sistema penal, acompanhado de artistas da terra, como Juliana Sinimbú, Joelma Kláudia e Pinduca, realizaram o show “Vozes de Nazaré” durante a procissão. Os artistas abriram mão de seus cachês em prol do projeto social. O show foi promovido pelo Governo do Pará, por meio do Núcleo de Articulação e Cidadania (NAC) do Estado, Casa Civil da Governadoria e da Superintendência do Sistema Penitenciário (Susipe).

O Coral é um projeto da Susipe que consiste na reinserção social de pessoas privadas de liberdade por meio da música. O repertório era composto por vinte e três canções tradicionais do Círio, marianas, além de músicas populares brasileiras. Os ensaios começaram há cinco meses e tiveram a frente à maestrina Vera Santos.

Representando o Governo do Estado, a primeira-dama Ana Jatene acompanhou toda a programação e se emocionou com o trabalho realizado. "Foi uma aparesentação maravilhosa. É muito emocionante assistir a um show tão bonito e perceber o trabalho de ressocialização que a Susipe realiza, principalmente em uma data tão especial como o Círio de Nazaré", disse.

A cantora lírica Patrícia Oliveira abrilhantou o espetáculo musical no momento em que a berlinda que conduzia a imagem pregrina parou para receber a homenagem. “É uma felicidade tremenda fazer parte deste trabalho junto com o Coral Timbres. O Círio é o momento de fé, de amor e de espírito de comunhão. Cantar, principalmente para Maria é uma felicidade”, afirmou Patrícia.

O interno Jurandir Júnior é de família católica e a aproximação com Nossa Senhora de Nazaré sempre existiu, mas tocar e cantar para Maria durante o Círio só fez com que o seu amor e devoção crescessem ainda mais. “É inexplicável a emoção que esse mar de gente transmite. O amor, a fé, tudo aumenta. É uma energia contagiante.poder estar ao lado desses grandes artistas, além de uma oportunidade única que a Susipe nos proporciona”, disse ele, que acompanha o coral ao violâo.

Na plateia, em frente à EGPA, estava Adriane dos Prazeres. Há três anos que ela acompanha as apresentações do coral no Círio, pois é a única forma de estar próximo do marido nessa data. “É uma emoção tão linda. Parece que todas as energias positivas do universo contagiam a gente neste momento. Apesar do cárcere, é uma forma de aproximar os laços familiares, e isso é extremamente importante em um momento como este, que poderia ser de tristeza, mas se torna alegre por ver que ele está se ressocializando através da música”, afirmou.

O cantor e compositor Pinduca, que este ano esteve entre os indicados da 18ª edição do Grammy Latino, também participou do show “Vozes de Nazaré”. “É uma iniciativa muito bonita porque hoje nós estamos comemorando a festa da padroeira dos paraenses. Então nada mais justo do que ter aqui o coral Timbres e os cantores que são da terra. É uma iniciativa louvável. Me sinto muito feliz em fazer parte desta grande festa.”

Para a cantora Juliana Sininbu, a participação do Coral possibilita aos internos um novo olhar para o mundo por meio da música. “A música é a ponte para esse novo olhar, para a ressignificação da vida. Eu me sinto lisonjeada de está fazendo parte desse projeto. A música é o meio mais leve e prazeroso de buscar reflexões para a nossa vida e tentar um recomeço”, disse.

A apresentação também emocionou o público, que aprovou a iniciativa “Foi uma apresentação muito bonita. É importante para eles fazerem parte dessa festa, para que se sintam lembrados e para que se lembrem que são filhos de Deus e, assim, possam ter forças para superar o que estão passando”, disse a devota Madalena Marques.

Para o superintende da Susipe, coronel Rosinaldo Conceição, momentos como este são fundamentais para o fortalecimento da fé e ressocialização dos internos. “É muito gratificante poder proporcionar aos internos a chance de participar de eventos tão magníficos como este. Oportunidades assim são fundamentais nesse processo de ressocialização”, concluiu.

Participaram ainda do show os cantores Liah Soares, Nanna Reis, Sammiliz, Arthur Espíndola e Edilson Moreno.

Por Aline Saavedra | Foto: Thiago Gomes (Secom)
Superintendência do Sistema Penitenciário do Estado do Pará

SUPERINTENDÊNCIA DO SISTEMA PENITENCIÁRIO DO ESTADO DO PARÁ
Rua dos Tamoios, 1592  -  Batista Campos  -  CEP 66033-172 - Belém/ PA
FONE: (91) 3239 4210