Cadeia Pública de Redenção está com mais de 90% da obra concluída

Versão para impressãoEnviar por e-mailVersão em PDF
A previsão de entrega é para março de 2019. A nova unidade prisional terá capacidade para 306 novas vagas e está orçada em mais de R$ 11 milhões de reais.

Com área total de mais de nove mil metros quadrados, a nova Cadeia Pública de Redenção, no sudeste paraense, já está com 94,32% da obra concluída. A última etapa consiste no acabamento e equipagem da unidade prisional. A previsão de entrega é para março de 2019. A nova unidade prisional terá capacidade para 306 novas vagas e está orçada em mais de R$ 11 milhões.

“Esta é uma obra diferenciada, por se tratar de um presídio precisamos ter mais critério e cuidado na construção e execução. Conseguimos dar uma celeridade maior na obra, mesmo contando com a adversidade das chuvas que neste período castiga a região. Contamos com um fluxo de 57 funcionários que estão trabalhando diariamente para que possamos cumprir o prazo de entrega. Desta forma seguimos com o cronograma da obra dentro do previsto e esperamos entregar o projeto antes do previsto”, explicou o encarregado da obra, Domingos da Silva, da Laca Construtora, responsável pela construção.  

A obra é executada pela Superintendência do Sistema Penitenciário do Estado (Susipe), em convênio com o Departamento Penitenciário Nacional (Depen), e conta com recursos do Fundo Penitenciário Nacional (Funpen), por meio do Ministério da Justiça, e contrapartida do Estado, somando um investimento total de R$ 11.315.701,27 milhões.

“Esta é mais uma obra que estamos dando continuidade e nosso objetivo é fazer a entrega até março de 2019. Trata-se de um trabalho de qualidade, seguindo todas as normas e diretrizes do Depen”, afirma a coordenadora de Engenharia e Arquitetura da Susipe, Célia Monteiro.

A nova unidade prisional contará com dois blocos carcerários, contendo 20 celas coletivas cada bloco, sendo destas, duas direcionadas à Pessoa com Deficiência (PCD). A unidade terá ainda, oito celas de isolamento, oito salas de visita íntima, consultório médico e odontológico, ambulatório, atendimento psicossocial, sala para tratamento penal, com apoio para advogados, Defensoria Pública e Parlatório. A unidade contará ainda com três salas de aula, biblioteca e uma sala de informática para a capacitação e qualificação dos presos.

Os projetos de construção das novas unidades penais do estado, adotam o conceito de responsabilidade ambiental, prevendo medidas de reaproveitamento da água da chuva e da água tratada da estação de esgoto para reutilização na limpeza da casa penal, irrigação de plantas e no sistema sanitário.

“O diferencial dessa unidade prisional é a extensão do tratamento de esgoto e cisternas de abastecimento, pois como ela estará anexa ao prédio já existente do Centro de Recuperação Regional de Redenção as duas unidades estão sendo contempladas com a ampliação da rede de abastecimento de água e tratamento de esgoto para que possam atender as necessidades das duas unidades. Nossos objetivos estão sendo concluídos com muito empenho, e até julho de 2019 esperamos ter entrega de todas as obras previstas nessa gestão”, destacou a diretora de Logística e Infra Estrutura da Susipe, Márcia Gaspar.  

Para garantir a segurança, a unidade possui uma área de acesso restrita especialmente para as visitas, salas de revista, além de quatro guaritas de vigilância, que seguem o modelo das unidades federais com sacada, proteção com vidro balístico e refletores. A casa penal também adotou modelo de passarelas, no qual os agentes prisionais acompanham a movimentação dos presos de um andar superior, garantindo mais segurança ao procedimento de abertura e fechamento de celas sem o contato direto com os detentos.

Atualmente, o Pará custodia 17.210 presos em 48 unidades prisionais. Com a geração de novas vagas prisionais, o Governo espera equalizar o déficit carcerário no Estado e reduzir a superlotação.

O Governo do Estado, por meio da Susipe, já investiu nos últimos quatro anos mais de R$ 235 milhões na construção e/ou ampliação de 24 novos centros de detenção no Pará, com recursos do Tesouro do Estado e também em convênio com o Departamento Penitenciário Nacional (Depen), através de recursos do Fundo Penitenciário Nacional (Funpen). Do total, 12 novas unidades prisionais já foram entregues na atual gestão, gerando cerca de três mil novas vagas prisionais, e outras 14 obras estão em andamento e/ou aguardam reprogramação, e juntas irão gerar mais 3,3 mil vagas prisionais, num total de 6.302 novas vagas ao sistema carcerário paraense.

(com colaboração de Kélia Santos)

Por Walena Lopes / Foto: Kelia Santos.