Obras da Unidade Básica de Saúde do Complexo de Santa Izabel são concluídas

Versão para impressãoEnviar por e-mailVersão em PDF
A UBS do Complexo Penitenciário de Santa Izabel terá ainda um laboratório especifico para a prevenção da Tuberculose (TB), doença que hoje representa um dos maiores riscos de contaminação e incidência dentro do ambiente carcerário.

As obras da nova Unidade Básica de Saúde (UBS) do Complexo Penitenciário de Santa Izabel que irá atender mais de 4,5 mil presos foram concluídas. Nesta sexta-feira (30), o superintendente do Sistema Penitenciário do Estado (Susipe), Coronel Rosinaldo da Silva Conceição e a equipe da Diretoria de Assistência Biopsicossocial da Susipe realizaram a vistoria técnica na obra.

A execução do projeto para a reforma da UBS só foi possível, através de uma parceria da Susipe com o Ministério da Saúde, por meio do governo Federal, juntamente com o governo do Estado do Pará. Os recursos investidos foram na ordem de R$ 278.817,09.

A nova UBS ofertará os serviços de clínica médica, com três consultórios para atendimento, odontologia, que contará com dois consultórios, sala de enfermagem, sala para procedimentos de saúde como curativos, vacinação, exames e inalações, além de um laboratório para (TB) e sala de Raio-x. A expectativa é que a unidade faça um atendimento médio de 60 presos por dia e de cerca de 1.500 por mês.

“Nosso objetivo é fazer o atendimento da população carcerária do polo, otimizando o transporte desses presos que antes eram encaminhados para Belém ou Castanhal. Com a UBS dentro do complexo faremos esse atendimento mais rápido e contaremos com assistência médica diária. Futuramente teremos aqui, além do atendimento clínico, outros atendimentos e especialidades para assegurar a saúde dos presos”, explicou a diretora de Assistência Biopsicossocial da Susipe, Ivone Santana.

Está é a maior unidade de atendimento básico a saúde da pessoa presa dentro da Susipe que atenderá a população carcerária do complexo penitenciário, que hoje conta com 9 unidades prisionais, (CRRPP I, CRRPP II, CRPP III, CTM I, CTM III, CTM IV, HGP, CPASI e CRCAN). Somente o Centro de Recuperação Especial Coronel Anastácio das Neves (CRCAN) que custodia servidores terá atendimento médico dentro da própria unidade prisional para os detentos. Hoje, cerca de 5 mil presos estão custodiados no Complexo de Santa Izabel.

“Este é um projeto de evolução no tratamento penal no Pará. Essa é uma proposta preconizada na política voltada para as pessoas presas e juntamente com o Ministério da Saúde faremos um modelo de gestão híbrida, para que possamos chegar ao atendimento real da saúde dentro do complexo de Santa Izabel. Os serviços ofertados irão funcionar de acordo com o Sistema Único de Saúde (SUS) voltado desde a atenção da saúde básica para os presos. Nosso foco é o atendimento e a prevenção da saúde dessa população,” explica a diretora da Unidade Básica de Saúde do Complexo de Americano, Soraia Reis.

Prevenção

A UBS do Complexo Penitenciário de Santa Izabel terá ainda um laboratório especifico para a prevenção da Tuberculose (TB), doença que hoje representa um dos maiores riscos de contaminação e incidência dentro do ambiente carcerário.

O laboratório realizará exames de Baciloscopia e Cultura de BK (específicos para o diagnóstico preventivo da doença). As amostras serão colhidas na própria UBS e os testes que forem dando positivo contarão com a parceria do Laboratório Central do Pará (Lacen/PA), onde serão feitos o teste de sensibilidade. Após a avaliação dos resultados será possível fazer o atendimento preventivo, e assim, diminuir os casos da doença dentro das unidades prisionais.  

“Nosso foco maior será na prevenção e diminuição dos casos de tuberculose dentro das unidades prisionais. Esses internos serão trazidos aqui e posteriormente faremos o monitoramento da doença evitando que ela evolua, e até mesmo, prevenindo que os casos evoluam”, explica a gerente de biomedicina da Susipe, Evelyn Kauffmann.

Para o superintendente Susipe, Coronel Rosinaldo Conceição, a UBS irá tornar o atendimento à saúde prisional mais ágil e seguro, além de garantir mais economia ao Estado. “Esse projeto era uma meta da Susipe juntamente com o Governo do Estado, visando diminuir as dificuldades de escolta e transporte que hoje temos aqui nas unidades prisionais do polo de Santa Izabel e Marituba. Antes os detentos com problemas de saúde precisavam ser deslocados até unidades de Belém, Castanhal e Santa Izabel. Com a UBS no Complexo, faremos esse atendimento com mais segurança, e assim, teremos uma demanda mais controlada otimizando a logística de transporte, além de atender as necessidades básicas de saúde da população prisional do complexo que hoje é de cerca de 5 mil detentos. É uma otimização na gestão da saúde prisional”, finalizou o superintendente.

Por Walena Lopes | Foto: Akira Onuma (Ascom/ Susipe).