Projeto Papai Noel dos Correios realiza sonho de filhos de detentos da Susipe

Versão para impressãoEnviar por e-mailVersão em PDF
Papai Noel do Correios - Neste ano, a campanha recebeu mais de 12.000 cartas recebidas e crianças de todas as idades puderam participar. O objetivo da campanha é que até o Natal todas as crianças estejam com seus presentes.

É chegado o final de ano e a movimentação em torno das festas do Natal despertam nas pessoas, sentimentos de colaboração, solidariedade, compaixão e amor ao próximo. Esses sentimentos movem pessoas, muitas delas anônimas, a se unirem para levar um pouco de alegria e conforto aos que mais necessitam e ajudar na realização de pequenos sonhos.

Para tornar o Natal mais feliz, a campanha “Papai Noel dos Correios” há 19 anos atende os sonhos e desejos das crianças carentes de mais de 70 instituições escolares municipais e estaduais, no Pará, através de cartinhas escritas a mão pelos pequenos com o seu pedido ao “Papai Noel”.

Duas dessas cartinhas chamaram a atenção de uma jovem, que pela terceira vez, participa da campanha de natal solidário dos Correios. Nas cartinhas continham relatos de dois irmãos gêmeos, criados pela avó paterna e pela tia, desde os seis meses de idade, pois a mãe foi embora para outra cidade e o pai está preso. “Quando estava lendo as cartinhas, por coincidência, peguei as duas que se tratavam de irmãos gêmeos. A história deles me chamou atenção e na hora me sensibilizei em ajudar”, relatou a jovem que pediu pra não se identificar.

As crianças estudam em uma instituição de caridade localizada no bairro da Maracangalha, em Belém. Nas cartinhas, as crianças escreveram sobre a vontade de ganhar uma bola e uma boneca, presentes simples, mas ainda pouco acessível para quem vive em uma realidade mais humilde, como a maioria das famílias de baixa renda no país.

Para dona Joana Vale, avó das crianças, campanhas de solidariedade como essa são de muita importância e deixa esse momento próximo ao Natal mais alegre e esperançoso, mesmo diante das dificuldades e desafios. “Ficamos muito felizes com esses brinquedos. É um momento de alegria ver meus netos realizando desejos, que muitas vezes, eu não posso atender, visto que crio vários outros netos e todos precisar ser atendidos de alguma forma, principalmente com a alimentação deles”, disse a avó.

O pai das crianças, mesmo preso, tem a oportunidade de conviver com os filhos, por meio dos dias de visita, realizado um vez durante a semana. Toda criança, filha de presos custodiados pelo sistema penal no Pará tem direito a visitar o pai ou a mãe, mediante a documentação completa e a realização do cadastro para visitantes. As visitas acontecem, uma vez na semana, em todas as unidades prisionais do estado. Este é um direito garantido a pessoa presa, previsto pela Lei de Execução Penal. 

A Coordenadora de Assistência Social da Superintendência do Sistema Penitenciário do Estado (Susipe), Régia Sarmento, explica que o vínculo familiar é fundamental para o processo de reinserção social de quem está privado de liberdade. "Esse vínculo é fundamental tanto para a reintegração social quanto para amenizar as tensões do encarcerado durante o cumprimento da pena, pois com a visita da família o clima muda, as crianças levam mais afeto, carinho e amor. E para a criança a presença de um pai, ainda que ele esteja preso, é de extrema importância para o desenvolvimento e para a formação. Como no Natal os pais nessa condição não tem a oportunidade de comprar um presente para os seus filhos, projetos como o dos Correios contribuem para convidar a sociedade a participar desse processo de reintegração, além de conservar a magia dessa data e despertar o sentimento mais puro nas crianças, que é a esperança”, destaca.

Papai Noel do Correios - Neste ano, a campanha recebeu mais de 12.000 cartas recebidas e crianças de todas as idades puderam participar. Todas as cartas disponibilizadas foram atendidas e durante a semana de 17 a 21 de dezembro as instituições receberão as doações destinadas às crianças. O objetivo da campanha é que até o Natal todas as crianças estejam com seus presentes.

Desenvolvido há 29 anos, com a finalidade de atender aos pedidos das crianças que escreviam as cartas endereçados ao “Pólo Norte” o projeto dos Correios ganhou projeção, ajudando a levar amor e solidariedade a milhares de crianças carentes, convidando a população a colaborar com um Natal mais feliz.

“Esse ano as cartinhas acabaram antes do previsto e precisamos pedir mais porque muitas pessoas nos procuraram para participar. Essa campanha é um ato de solidariedade que promovemos envolvendo as pessoas a doarem, mais que brinquedos e pedidos diversos que surgem nas cartas, amor e esperança. Trabalho nos Correios há 19 anos e há 18 anos atuo como voluntária no projeto, e é sempre muito gratificante perceber o quanto as pessoas se mobilizam e fazem desta oportunidade um momento de solidariedade e acolhimento ao próximo. Esperamos que no próximo ano as doações possam ser ainda maiores, e superar as nossas expectativas”, finalizou a coordenadora voluntária do Projeto "Natal dos Correios", Ana Leite.

Por Walena Lopes | Foto: Veloso Júnior (Ascom/ Susipe).