Servidores das Unidades Básicas de Saúde da Susipe recebem capacitação do MS

Versão para impressãoEnviar por e-mailVersão em PDF
O curso reuniu 28 servidores da equipe que integra a Política Nacional de Atenção Integrada à Saúde das Pessoas Privadas de Liberdade Prisional (PNAISP) que atuam nas 4 Unidades Básicas de Saúde da Superintendência do Sistema Penitenciário do Estado.

A Diretoria de Assistência Biopsicossocial da Superintendência do Sistema Penitenciário do Estado (Susipe) promoveu, nesta semana, o treinamento do Sistema de Informação da Atenção Básica de Saúde (e-SUS) do Ministério da Saúde do Governo Federal para os servidores que atuam nas unidades básicas de Saúde da Susipe. A capacitação ocorreu na Unidade Básica de Saúde do Complexo Penitenciário de Santa Izabel que irá ser ativada até o final do mês. O sistema é um software que unifica o Prontuário Eletrônico do Cidadão e o Sistema de Coleta de Dados Simplificados visando o controle de entrada e saída das produções realizadas nas Unidades Básicas de Saúde dentro das unidades prisionais do Estado do Pará.

O treinamento presencial iniciou no dia 4 de julho e encerrou nesta sexta-feira, 6. O curso reuniu 28 servidores da equipe que integra a Política Nacional de Atenção Integrada à Saúde das Pessoas Privadas de Liberdade Prisional (PNAISP) que atuam nas 4 Unidades Básicas de Saúde da Superintendência do Sistema Penitenciário do Estado.

“Essa ferramenta faz parte da política integrada entre o Governo Federal e o Governo do Estado. Nós seguimos a linha orientada pelo Ministério da Saúde, através do Sistema de Atenção a Saúde Básica. Dentro dessa ferramenta existe um sistema de informação que centraliza todas as informações que devem ser repassadas ao Governo Federal, justificando o repasse feito ao Governo do Estado, através do fundo de saúde, e assim realizamos a nossa prestação de conta junto a o Ministério da Saúde”, falou a diretora da Unidade Básica de Saúde de Santa Izabel, Soraya Reis.

Durante o treinamento os servidores conheceram a ferramenta dentro do espaço virtual e aprenderam a maneira correta de manusear o sistema. O servidor Ewerton Vilarino, foi um dos participantes do curso e conta que com essa fermenta toda a produção ganha mais agilidade e transparência para a execução dos procedimentos.

“Esse tipo de ferramenta nos auxilia quanto à produção que é realizada mensalmente, sem falar na transparência que permite avaliar o quanto estamos utilizando de material e se este esta sendo empregado de forma produtiva”, avalia o servidor.

O técnico do Ministério da Saúde que trabalha no apoio institucional, José Borges ministrou o curso aos servidores e explicou as formas de utilização e cadastro no sistema. O software integra a coleta dos dados simplificados e também permite o cadastro dos presos no Sistema Único de Saúde.

“O sistema permite acesso aos dados dos presos que já foram cadastrados. Através dele será possível também emitir o cartão do SUS e acompanhar os procedimentos realizados dentro das Unidades Básicas de Saúde das unidades prisionais de forma simples e funcional”, explica.

Para a diretora da UBS de Santa Izabel, o sistema aumenta a qualidade da gestão processual do cumprimento nas prestações de contas ao Ministério da Saúde, e ainda auxilia no controle de entrada e saída dos materiais utilizados durante os procedimentos feitos nas unidades básicas, além de acompanhar a produção que é realizada diariamente nas unidades prisionais.

“Nós prestamos conta com o Ministério da Saúde informando a nossa produção e não com notas ficais. Essa equipe trabalha de uma forma orientada e baseada no modelo que o Governo Federal nos encaminhou, e assim damos andamento nos processos realizados dentro das unidades básicas, para atendimento padronizado pelo Ministério da Saúde. Essa produção é feita diariamente e no final de um mês apresentamos um balanço mensal do que foi realizada, em cada unida básica cadastrada no sistema”, disse a diretora.

Cartão SUS – O Cartão Nacional de Saúde atende a uma demanda de cadastro nacional da saúde. Tem como objetivo fundamental a identificação homogênea do usuário do SUS realizando o acompanhamento do conjunto de atendimentos feitos pelo sistema de saúde, onde quer que eles aconteçam por meio do acesso a uma base nacional de dados de saúde do cidadão. É o instrumento de informatização necessário para a organização da rede de atenção à saúde e de gestão do SUS.

Todos os presos que dão entrada em qualquer das 4 unidades básicas de saúde existentes dentro do sistema prisional do Estado são automaticamente cadastrados no Sistema Único de Saúde, podendo ser atendidos em qualquer unidade de saúde no território nacional.

“Esse cartão é uma prerrogativa no atendimento inicial para essa população carcerária que utiliza os serviços de atendimento das Unidades Básicas de Saúde. Não fazemos nenhum atendimento sem que antes esse preso não seja cadastrado, sendo que ele é uma prioridade dentro das Unidades Básicas do Brasil, pois através dele é realizado o controle de todo o procedimento feito pelo usuário, podendo utilizá-lo para marcação de exames, consultas, vacina e até mesmo para atendimentos externos”, ressaltou.

Hoje o sistema prisional do Estado atua com 4 Unidades Básicas de Saúde, sendo elas, localizadas: no Centro de Recuperação Feminino de Ananindeua e Santarém, além da Central de Triagem de Marabá e a nova Unidade Básica de Saúde de Santa Izabel que deverá atender mais de 5.000 presos custodiados em oito unidades prisionais do Complexo Penitenciário.

Por Walena Lopes | Foto: Akira Onuma (Ascom/ Susipe).