Susipe inaugura marcenaria para qualificar presos do regime fechado | Superintendência do Sistema Penintenciário do Estado do Pará

Susipe inaugura marcenaria para qualificar presos do regime fechado

Versão para impressãoEnviar por e-mailVersão em PDF
O projeto da marcenaria da Susipe iniciou em 2004, no Centro de Recuperação do Coqueiro (CRC) onde já foram profissionalizados mais de 100 internos do regime fechado. As produções chegam, em média, a 150 móveis por mês, dependendo da demanda.
A Superintendência do Sistema Penitenciário do Estado (Susipe) inaugurou na manhã desta quinta-feira, 09, uma marcenaria instalada na Central de Triagem Metropolitana II (CTM II), em Ananindeua. Essa é mais uma oportunidade de qualificação para 12 internos que irão trabalhar na produção de móveis em madeira e MDF.
 
O projeto da marcenaria é mais um dos promovidos pela Diretoria de Reinserção Social da Susipe para auxiliar no processo de ressocialização dos detentos que terão a oportunidade de aprender uma profissão, e ainda, participar de cursos de capacitação com objetivo de certificar e preparar pessoas privadas de liberdade para o mercado de trabalho. 
 
A marcenaria funcionará de segunda a sexta-feira. Os detentos trabalharão na produção de beliches e camas, atendendo a demanda do mobiliário da Susipe e também para outros órgãos da Segurança Pública do Estado. A expectativa é de produzir, em média, 50 móveis por mês na fase inicial de implementação do projeto. Pelo trabalho, os detentos recebem remuneração de 3/4 do salário mínimo, conforme determina a Lei de Execução Penal brasileira, além da remição de pena e a oportunidade de se profissionalizar para o mercado de trabalho.
 
O projeto da marcenaria da Susipe iniciou em 2004, no Centro de Recuperação do Coqueiro (CRC) onde já foram profissionalizados mais de 100 internos do regime fechado. As produções chegam, em média, a 150 móveis por mês, dependendo da demanda. Todo o trabalho é feito na fábrica instalada dentro da própria unidade prisional.
 
Produção - O material usado pelos detentos para a produção das peças são de madeira e MDF, derivado da madeira de lei apreendida de desmatamento e doada pelo Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) e também pela Secretária de Estado de Meio Ambiente e Sustentabilidade (Semas), por meio de certificação para a Susipe. Os insumos utilizados para a confecção dos objetos como cola, tintas e parafusos, são doados pelos órgão que solicitam a produção. Para participar do projeto, o interno precisa ter bom comportamento e aptidão para o trabalho, além de passar por uma avaliação psicossocial.
 
Por Assessoria de Comunicação Social.